O compositor Jean Jean-Pierre

Enquanto aguardas… uma obra-prima.

O compositor Jean Jean-Pierre estava em Port-au-Prince no dia do terremoto visitando a família.
Nos conhecemos numa das listas pelo Haiti (que chique!) e por isso sei a história.

A música conduzida pela Orquestra Sinfônica da República Dominicana ganha um significado ainda mais especial.
Durante os anos de reinado do par ditatorial Papa Doc (Haiti) / Rafael Trujillo (Rep. Dominicana), os haitianos que cruzavam desesperados a fronteira eram simplesmente massacrados no país vizinho sob ordens expressas de Trujillo.

Durante apenas três dias, calcula-se  o assassinato de cerca de 20.000 haitianos somente na fronteira pelas tropas dominicanas.
Uma época que ficou conhecida como o Antihaitianismo Dominicano e deixou muitas feridas abertas.

No dia do terremoto de 2010, a República Dominicana simplesmente não pediu licença e invadiu o Haiti.
Mas desta vez para ajudar.
E Jean Jean tenta, dos escombros do terremoto, celebrar este novo momento de solidariedade entre os dois povos de Hispaniola.

Me emociona muito a cena final que mostra else hasteando a bandeira defronte do Palácio Nacional destruído.
Coisa que acontece até hoje.
E no único dos documentos em que o povo foi ouvido, dentre os diversos debatidos na Sessão Especial da Assembléia Geral da ONU sobre o Haiti, um resultado de pesquisa marca bem o caráter do “povo mais resiliente do mundo”:

Else dizem que não querem que o Palácio Nacional seja reconstruído. 
Para que só seja reconstruído por engenheiros haitianos.
Quando um dia novos engenheiros haitianos se formarem.

É por isso que o Ayiti tem “visgo”.